Gestão

Como fazer o seu Planejamento Estratégico para 2022

André Bernert
CEO - Clint
9 min de leitura
de leitura

Método Wanna Be: Alinhe branding, inbound marketing e inside sales

Descubra como fazer o seu planejamento estratégico para 2022. Dicas, insights, ferramentas, chegou a hora de acelerar.

Fim de ano chegando e é normal nos questionarmos tanto no quesito pessoal, como também profissional. O que foi bom em 2021? O que foi ruim? O que posso fazer em 2022 para que os resultados sejam melhores?

Bom, antes de entrarmos no contexto profissional e em como montar um planejamento foda para o seu negócio no próximo ano, eu gostaria de lembrar que tão importante quanto performar bem na sua empresa, é necessário performar bem em todas as outras áreas da sua vida.

Aqui dentro da Clint, acreditamos que o André pai de família, amigo, filho, faixa preta de jiu-jitsu, é o mesmo André com os clientes, parceiros e colaboradores. Por isso, estimulamos sempre o equilíbrio pessoal e profissional. Dormir bem, comer bem, se exercitar, ter tempo para a sua família e também para você mesmo, é tão importante quanto trabalhar as suas 8 a 12 horas por dia. Portanto, se você não está bem com você mesmo, com a sua família ou a sociedade, nem adianta pensar no planejamento do seu negócio para o próximo ano.

Se você precisa de ajuda para organizar a sua rotina pessoal, talvez uma planilha simples que eu uso já faz vários anos, possa te ajudar. Nela eu organizo os meus principais compromissos, metas pessoais e também profissionais, além de um método simples para diariamente refletir sobre como foi o meu dia, semana ou mês. Clique aqui para acessar e fazer uma cópia para você.

Para você ter uma ideia da importância disso pra nós aqui da Clint, um dos nossos objetivos para 2021, que com certeza também se manterá para os próximos anos, é fazer com que todos da equipe trabalhem para desenvolver um MINDSET DE ATLETA. 

Um mindset de alta performance é baseado na teoria de que a pessoa irá trabalhar para tentar aumentar seus limites, melhorar o seu desempenho e conseguir mais sucesso, e para isso, ser mediano, ou seja, fazer igual ao que todos os outros fazem, não será suficiente para levar ao êxito.

Bom, o foco aqui é ajudar no planejamento estratégico do seu negócio para o próximo ano e espero que você tenha entendido que preparar a sua rotina de forma equilibrada, é a chave para que você desenvolva o seu mindset de atleta e consequentemente possa ter mais sucesso daqui pra frente.

Eu gosto de dividir o planejamento estratégico dos negócios em 4 grandes etapas: contexto, propósito, objetivos e plano de ação. Partiu?

Contexto


Impossível desenhar objetivos e ações sem antes entender o contexto interno e externo da empresa. Se o seu negócio está com problemas financeiros, por exemplo, é extremamente importante que práticas de redução de gastos estejam em pauta para o próximo ano. Ao mesmo tempo, eu particularmente, gosto de resolver problemas financeiros, trazendo dinheiro para dentro do negócio. 

Depois de mais de 10 anos de atuação em empresas de todos os portes e segmentos, eu pude perceber que na maior parte dos casos, o maior problema de uma empresa está relacionado a vendas. Mesmo para aqueles que dizem que não, que dizem que o problema do negócio está em processos operacionais relacionados a escala e sucesso dos seus clientes.

Um exemplo prático sobre isso. Um tempo atrás conversei com uma agência do nordeste que começou o papo comigo falando que vendas e receita não era o seu problema, que estão entre os maiores da região, possuem um time com cerca de 30 pessoas e está faltando equipe para atender tanto cliente. 

Segundo relatos do dono do negócio, na sua visão os seus problemas estão em organizar os seus processos operacionais, além de conseguir atrair e reter talentos, já que estava perdendo profissionais para empresas maiores de outros segmentos, empresas que pagam 2 vezes mais, que oferecem diversos benefícios como plano de saúde, academia, entre outros...

De imediato eu questionei, quanto você cobra em média para atender os clientes na sua agência? R$2.500/mês foi a resposta dele. Bingo, o seu problema é vendas, mesmo você não acreditando nisso por hora.

Como você resolve problemas operacionais dentro de uma empresa? Com pessoas. Como você organiza os processos dentro de uma empresa? Com pessoas. Como você contrata profissionais fodas e os mantém engajados dentro da sua empresa? Com clientes fodas que paguem muito bem, essa é a única forma.

Profissional foda não quer trabalhar com qualquer marca, nem com profissionais mediamos, muito menos está disposto a receber menos sabendo que é possível ganhar mais. Quem é foda, quer receber bem, quer trabalhar com pessoas e marcas que pensam grande, que possuam objetivos claros e com planos de ações práticos que os faça enxergar que será possível alcançá-los.

Enfim, entender bem o atual cenário e contexto do negócio, é o primeiro passo para montar o planejamento do seu negócio para 2022. Feito isso, vamos para o próximo passo.

Propósito


Entender o que move a empresa e por que ela existe, é uma etapa essencial para colocar no seu planejamento para o próximo ano. Isso faz com que você deixe claro para o mercado, seus clientes e principalmente para o seu time, quais são as suas missões, visões e valores. Mesmo que isso pareça clichê, faz uma diferença absurda dentro do negócio.

Quanto mais claro for o seu posicionamento, mais sentido terão os seus objetivos, uma coisa está diretamente relacionada a outra. Desta forma, nada dentro da sua empresa será feito em vão, tudo tem um propósito.

Sei que a história é batida, mas sempre que a ouço em algum lugar, acho incrível. Dizem que uma vez durante uma visita à NASA, o antigo presidente dos Estados Unidos, John F. Kenney, conheceu um faxineiro, a quem perguntou: "O que o senhor faz aqui?" O faxineiro respondeu: "Senhor presidente, estou ajudando a levar um homem para a lua.".

Do estagiário, aos freelas, gestores e sócios do negócio, quanto mais claro estiver o posicionamento da empresa, ou seja, o motivo dela existir, maior será o engajamento do time e também dos clientes, mais fácil será direcionar o crescimento do negócio.

Importante destacar que mesmo em time que está ganhando, pode e deve haver mudanças. Como exemplo, vale citar o caso que todos conhecem da Netflix X Blockbuster, todos já sabem o resultado né? Por isso, não hesite em fazer mudanças com relação a sua missão, visão, valores e também aos seus objetivos, sempre que necessário.

Objetivos e resultados-chave


Chegou a hora de definir para onde a empresa vai e em quanto tempo isso vai acontecer ao longo do próximo ano. Nosso objetivo será financeiro? Share de mercado? Número de clientes? Satisfação da equipe?

Aqui na Clint, desde a época em que atuávamos como agência de marketing e vendas, trabalhamos com OKRs (Objectives and Key Results). Vale a leitura de um outro post nosso que detalha mais o assunto.

Em resumo, com as OKRs é possível trabalhar de forma mais ágil, precisa e principalmente, de forma que o time trabalhe de forma mais motivada, afinal todos conseguem ver onde suas ações estão de fato ajudando o negócio a evoluir.

Isso, devido ao fato de os objetivos traçados terem um ciclo mais curto de realização, geralmente três meses. Lembrando que todos os objetivos precisam ter resultados-chave mensuráveis para avaliar se o caminho traçado está correto, além de serem inspiradores para a equipe.


Plano de ação


Com os objetivos traçados (Objectives) para o ano e também para o próximo trimestre, e a visão de como faremos a leitura (Key Results) se estamos ou não alcançando os objetivos, chegou a hora de definir como faremos para que isso aconteça, o plano de ação prático.

A nível de OKRs, os Objetivos e Resultados-chave estão ligados ao nível da empresa e também dos principais departamentos do negócio, como é o caso de marketing, vendas, financeiro, RH, atendimento/sucesso do cliente.

Já o plano de ação, é quando partimos para o nível operacional. Quais projetos, processos e ações práticas precisam ser executadas pelo seu time para que as OKRs sejam cumpridas?

Se você não tem os processos operacionais documentados para que o seu time performe da melhor forma possível, um projeto que você poderia criar dentro de cada departamento, seria a documentação dos processos da área, por exemplo. Utilize mais de uma pessoa para essa documentação e coloque prazos que sejam capazes de serem cumpridos ao longo de um trimestre, em 3 meses é certo que isso deixará de ser um grande problema no seu negócio se isso for uma prioridade semanal para você.

Um outro exemplo bem comum de ouvirmos no mercado digital, é sobre a dificuldade das agências metrificarem o custo hora/homem para execução das ações executadas para os clientes. Se esse for o seu caso, dentro do departamento de Sucesso do cliente, você pode criar um projeto e determinar um responsável que tem como objetivo diário fazer o levantamento manual de tudo que é executado por todos do seu time para todos os seus clientes. Nem sempre trabalhar com timesheet automática é algo tão simples de ser executado, mas o exercício rápido e diário de apontar o tempo investido em cada tarefa, já ajuda bastante e pode ser o primeiro passo.


É muito importante que o acompanhamento das OKRs e dos projetos mapeados, seja feito de forma periódica. Aqui na Clint, trabalhamos com reuniões diárias, semanais, mensais e trimestrais, conforme abaixo:

  • Daily: reunião diária liderada pelos gestores com foco em fazer o acompanhamento operacional dos projetos.
  • Check-in das áreas: reunião semanal liderada pelos gestores com foco em apresentar os resultados e dores da área na semana.
  • Revisão mensal de OKRs: sempre no início de cada mês, aqui na Clint paramos para avaliar os resultados do mês que passou e se necessário, fazemos ajustes para o mês que está começando, sempre com foco em chegar o mais próximo possível dos resultados traçados para o trimestre em questão.
  • Reunião trimestral de OKRs: uma vez a cada 3 meses, reunimos todo o time da Clint para revisar os resultados do trimestre que passou e também para juntos construirmos as OKRs do próximo trimestre. Esse momento acaba servindo como forma de integração da equipe, já que além de construirmos juntos as OKRs do negócio, priorizamos fazer essa dinâmica num local fora da empresa, um dia diferente e bastante esperado por todos.

Conclusão


Você conhece um atleta profissional que treina sem ter clareza do seu próximo campeonato? Certo que não. Quem é foda, ou seja, quem não quer ser mediano, precisa ter muita clareza do que espera conquistar, em quanto tempo isso vai acontecer e qual será o plano de jogo para que isso aconteça.


Se você precisa de ajuda para planejar os seus próximos passos, melhorar a sua produtividade e busca atalhos que possam acelerar o seu crescimento, do seu negócio e também da sua equipe, você precisa conhecer o programa para desenvolvimento de parceiros da Clint. Através da nossa comunidade, metodologia e tecnologia, vamos ajudar você a crescer mais rápido. Bora?


Compartilhe esse conteúdo
CLINT HUB SERVICOS DIGITAIS LTDA - CNPJ 36.569.594/0001-01